fbpx

Lidar com o stress

O que √© o stress? O que fazer para n√£o prejudicar a nossa sa√ļde e vida? Como viver com menos stress?¬†

S√£o perguntas que vemos muitas vezes serem colocadas, de forma provocadora ou apenas para chamar √† aten√ß√£o desta “doen√ßa” da era moderna. O stress √© algo que faz parte da vida do ser humano desde o in√≠cio da Humanidade, n√£o √© uma doen√ßa. Desde o homem das cavernas que h√° stress, provocado pelo medo de passar fome, de ser atacado por outros animais, de ver a sua comunidade amea√ßada. Estes medos ainda perduram, embora os factores que os provocam possam agora ser outros. A maioria da popula√ß√£o mundial j√° √© amea√ßada no dia a dia por outros animais, e muitos j√° conseguem suprir as suas necessidades alimentares sem nenhum constrangimento. Mas h√° outras situa√ß√Ķes que nos provocam este medo de sobreviv√™ncia. A sobreviv√™ncia de hoje √© tamb√©m a sobreviv√™ncia de um estatuto social, da imagem que queremos que os outros tenham de n√≥s, da confian√ßa que queremos que tenham em n√≥s a n√≠vel profissional ou pessoal.

Stress

O stress √© uma defesa natural do nosso corpo, √© essencial para a nossa sobreviv√™ncia. Sem ele seria dif√≠cil reagirmos e protegermo-nos de a√ß√Ķes que nos amea√ßam, fisicamente ou nas nossas cren√ßas e princ√≠pios. O principio da ¬ęfuga, luta ou imobiliza√ß√£o¬Ľ √© bem bem conhecido e traduz uma rea√ß√£o automatizada do nosso corpo a uma amea√ßa.

A quest√£o n√£o, ent√£o, como evitar o stress, mas sim, como lidar com ele e com as rea√ß√Ķes que ele despoleta no nosso organismo. Para aprender a lidar com o stress √© preciso entender primeiro o que ele provoca em n√≥s, fisicamente, e como isso tem repercuss√Ķes nos nosso pensamento e racioc√≠nio.¬†

Uma amea√ßa (seja ela de que origem e tipologia que for) desencadeia no nosso corpo um conjunto de rea√ß√Ķes, tipicamente controlados por uma parte do nosso c√©rebro (am√≠gdala) respons√°vel por activar/desactivar o funcionamento do sistema nervoso aut√≥nomo simp√°tico ou para-simp√°tico. Quando o corpo sente que est√° a ser amea√ßado pode inibir a nossa interven√ß√£o consciente e passar a funcionar em modo defensivo autom√°tico (sistema simp√°tico) – √© uma situa√ß√£o que pode ser muito √ļtil quando estamos perante uma amea√ßa f√≠sica (agress√£o), mas pode ser menos √ļtil quando essa amea√ßa n√£o necessita de uma rea√ß√£o f√≠sica t√£o intensa, e precisamos controlar a forma como lidamos com a situa√ß√£o.¬†

Quem pratica desporto, ou artes marciais, sente esta rea√ß√£o do corpo com frequ√™ncia, aprendendo a identificar e lidar de uma forma controlada com ela. (Excep√ß√£o feita a muitos jogadores de futebol que se deixam tomar pela rea√ß√£o autom√°tica – partindo para rea√ß√Ķes de luta imediata).

Há ainda um segundo sistema que identifica ameaça de sobrevivência que aparentemente não passa pela amígdala do cérebro, este está associado ao nível de CO2 que é identificado no nosso corpo. Casos de estudo em pessoas em que esta parte do cérebro ficou danificada, perdendo a noção do medo, revelam esse sentimento quando o nível de CO2 é elevado por uma ação externa.

Isto √© importante porque o nosso corpo √© t√£o complexo e possui tantos mecanismos de defesa que se os conseguirmos compreender e utilizar, seremos capazes de enfrentar as situa√ß√Ķes mais complexas e desafiantes com confian√ßa e tenacidade.

Respire

A ferramenta fundamental para aprendermos a lidar com o medo, o stress, é a respiração e a forma como a realizamos. A activação do sistema simpático (nervoso autónomo) e para-simpático é conseguido, voluntaria e conscientemente, através da forma como respiramos (o ritmo, a intensidade). Muitas disciplinas ancestrais  focam na respiração, como o Yoga por exemplo. Mas não é preciso ser um yogi para saber utilizar a respiração, qualquer pessoa pode aprender a respirar melhor e a utilizar a respiração para controlar os seus medos e ansiedades. 

O processo de respira√ß√£o n√£o consiste apenas na inala√ß√£o de oxig√©nio, √© necess√°rio dar tempo ao corpo para o absorver, processar, e expelir o resultado do seu processamento, o CO2. Manter o equil√≠brio neste processo, e por consequ√™ncia nas concentra√ß√Ķes destas duas subst√Ęncias, Oxig√©nio e CO2, no nosso organismo √© o que √© necess√°rio aprender e dominar. Depois √© explorar as in√ļmeras possibilidades que da√≠ adv√™m.

Como fazer para aprender? simples, leia, investigue, inscreva-se numa prática de Yoga, meditação, artes marciais que foquem a respiração como o TaiChi, Aikido, Kendo ou outras. E pratique, treine e aprenda com a experiência do seu corpo.

Treine o corpo

A parte do corpo respons√°vel pelo movimento tamb√©m tem uma sabedoria que √© adquirida ao longo da vida. Quem usa o seu corpo com frequ√™ncia e o mant√©m “em forma” sente isso. Ele tamb√©m pode ser treinado, para activar ou n√£o o sistema de defesa, podemos ensinar o nosso corpo a entender que consegue responder com confian√ßa e assertividade a muitas das situa√ß√Ķes que causariam normalmente stress. Isto deixa-nos com mais energia para respondermos a mais solicita√ß√Ķes e enfrentarmos situa√ß√Ķes para outros dif√≠ceis com mais leveza. A express√£o “Mente s√£ em corpo s√£o” tem a sua raz√£o de ser, embora leve muita gente a separar a Mente do corpo, o que √© imposs√≠vel. Um corpo bem cuidado (exercitado, correctamente nutrido, equilibrado para as fun√ß√Ķes que desempenha diariamente) liberta-se e dispobibiliza muito mais energia mental para focar em outras quest√Ķes, inovar no seu trabalho, dar mais aten√ß√£o √† fam√≠lia, ser mais realizado no seu trabalho. No fundo estar dispon√≠vel fisica e mentalmente para o imprevisto.

Altera√ß√Ķes

As altera√ß√Ķes das condi√ß√Ķes em que vivemos, quer em termos pessoais, sociais, econ√≥micas, s√£o talvez a causa de maior medo nos dias que correm. O medo, do diferente, desconhecido, do que nos pode amea√ßar o bem estar, resulta em rea√ß√Ķes f√≠sicas e emocionais a que chamamos vulgarmente de stress. Ter o conhecimento (at√© a n√≠vel do subconsciente) de como lidar com estas situa√ß√Ķes, deixar o corpo em condi√ß√Ķes de actuar com leveza, confian√ßa e energia, libertando mais energia mental para explorar poss√≠veis solu√ß√Ķes, n√£o √© apenas para alguns. Basta ter a paci√™ncia e disposi√ß√£o para reaprender constantemente.¬†

 

Se quiser saber como tudo isto funciona e como consegue iniciar esta mudança de atitude em relação aos seus medos, exponenciando a energia disponível para o resto, experimente o treino que oriento e que ajuda pessoas como você a autonomamente enfrentar os maiores desafios com confiança e sucesso.